"Eduquem-se os meninos e não será preciso castigar os homens". (Pitágoras)


PROJETOS REALIZADOS

Um pouquinho da nossa história...

NOSSO PATRONO: AUGUSTO SPINELLI


Nasceu a 24 de janeiro de 1892 em Nova Friburgo, filho de Luiz Spinelli e Marieta Zuanazzi Spinelli.Cedo assumiu a direção das firmas Spinelli, com invulgar eficiência e dinamismo.Fundou a Transportadora Spinelli Ltda e, durante muitos anos, foi Presidente da Associação Comercial de Nova Friburgo, trabalhando, incansavelmente, pelas classes Conservadoras. Lutou, junto com o Prefeito Dr. César Guinle, para a instalação, no Edifício da Cascata, da Fundação Getúlio Vargas. Eleito vereador pela UDN, representou, no legislativo, as classes conservadoras.

Foi, até à sua morte, membro de grande destaque na Federação das Associações Comerciais do estado do Rio de Janeiro; cooperou na fundação da Empresa telefônica de Nova Friburgo, onde exerceu o cargo de tesoureiro por largos anos. Em 1925 organizou uma caravana automobilística que, partindo de Friburgo e passando por Ubá, Minas Gerais, patenteou a necessidade da ligação de Friburgo-Niterói.

Dentre suas múltiplas realizações, é justo ressaltar a atuação que teve na constituição de uma empresa de transporte coletivo, a Viação Friburguense, da qual foi, durante muitos anos, presidente.

Numa de suas freqüentes viagens, seu carro foi abalroado por um caminhão, resultando daí graves lesões com fraturas internas.Após longo tratamento e repouso, sobreveio um hematoma cerebral que o obrigou a delicada operação, vindo a falecer, no dia 1º de agosto de 1949, numa casa de saúde do Rio de Janeiro.Trasladado para nossa cidade, foi sepultado no jazigo da família.

Homem público dos mais notáveis perpetua a lembrança de seu nome, homenagem carinhosa de seus pares, numa das ruas do centro da cidade e em nosso C.E. AUGUSTO SPINELLI.

DE UM CANTÃO SUÍÇO SURGE UM CANTINHO BRASILEIRO

Na segunda década do século XIX, precisamente no ano de 1888, um grupo de colonizadores, oriundos do Cantão Suíço Fribourg, iniciou, laboriosamente, o povoamento de um lindo vale -denominado Fazenda do Morro Queimado - situado entre montanhas, onde se localiza, hoje, o município de Nova Friburgo. A função histórica deste município é de grande interesse por ter sido o primeiro movimento imigratório organizado, oficialmente, no Brasil, obedecendo a um plano bem delineado.

A pequenina colônia suíça obedeceu a critérios de colonização de povoamento, sendo orientada para o incremento e desenvolvimento de minifúndios destinados à produção de produtos agrícolas, administrados pelos próprios colonos e suas famílias.

Com evolução rápida, a Colônia foi elevada à categoria de Vila, com a denominação de "Nova Friburgo", em 03 de janeiro de 1820.

A extensão territorial de Nova Friburgo abrange 1.009 Km2, do alto da Serra do Mar aos alinhamentos interiores das Serras do Paquequer e Macaé do Norte. Há três unidades topográficas distintas: escarpas e picos da Serra do Mar, alinhamento das serras a reverso e estreitos vales fluviais. A frente da Serra do Mar é acidentada e registra maiores elevações, particularmente no trecho conhecido como Serra dos Órgãos, onde os picos ultrapassam os dois mil metros.

Dotada de natureza pródiga, clima ameno e exuberantes áreas verdes, Nova Friburgo encantou, desde o início, por suas potencialidades, seja como área turística, seja como fonte de produtos agrícolas.

Dentre as belezas naturais podemos destacar as grutas e cavernas, especificamente as localizadas nas Furnas de Friburgo, situadas à margem da Rodovia RJ-116, no trecho que liga Nova Friburgo a Bom Jardim. No ponto, localiza-se, a Pedra do Cão Sentado, um dos símbolos do Município. No centro, destaca-se a Praça Getúlio Vargas com seus eucaliptos centenários, ipês, jardins e chafarizes. Dignos de nota, também, são os vales floridos, como o Bairro do Caledônia, cujas numerosas nascentes serpenteiam por entre as pedras, conduzindo o passante de flor em flor, de pássaro em pássaro ao Bairro do Cônego. Neste bairro situa-se o C.E.Augusto Spinelli.

Fundada na década de 40, funcionando, inicialmente, no antigo casarão do Cônego,a Escolinha recebeu o nome de "Escola Fazenda do Cônego", atendendo alunos do antigo "primário" que abrangia da 1ª à 4ª série.Em 18 de maio de 1950, através do decreto 3654, foi elevada à categoria de "Grupo Escolar Augusto Spinelli", com as mesmas ofertas de ensino e funcionamento nas mesmas instalações. Em 1965 ganhou instalações próprias passando a funcionar em terreno anexo ao casarão, doado, como toda a área, por César Guinle à Prefeitura de Nova Friburgo.Em 1976, com a nomenclatura "1º grau", a oferta de ensino foi ampliada, passando a abranger alunos da classe de alfabetização à 8ª série (antigos primário e ginásio).Posteriormente, foi oficializada a nomenclatura "Ensino Fundamental" para tal oferta de ensino.A partir do fim da década de 90, o 1º segmento do Ensino Fundamental - 1ª a 4ª série - foi, gradativamente, passando para a responsabilidade das Escolas Municipais. Com o fim do segmento, a Escola investiu na criação do Ensino Médio (Formação Geral). Assim, através do decreto 31.843, de 11 de setembro de 2002, a unidade escolar foi transformada em C.E.Augusto Spinelli. A primeira formatura ocorreu em dezembro de 2003.

Durante sua história, o C.E. Augusto Spinelli foi administrado pelas seguintes Diretoras:




Da fundação da Escola até o início da década de 1960:

Maria Amélia Stróligo Medeiros
Marlene Bastos
Maria Alice Cúrio
Década de 60 até 1976:
Sonny Perez
De 1977 a 1985:
Maria Janilva Pereira Marques
Biênio: 1986/1987:
Helen Cristine Guimarães de Andrade
Biênio: 1988/1989:
Maria do Socorro Teixeira Duarte
De 1990 até a presente data:
Tania Maria Moraes Bonan


"Eduquem-se os meninos e não será preciso castigar os homens."

(Pitágoras)


Laboratório de Informática e Rádio Escola

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Loja Maçônica entrega prêmios do ‘Concurso Cidadania e Civismo’

No sábado, 23, a Loja Maçônica Indústria e Caridade promoveu a entrega dos prêmios aos alunos vencedores do XV Concurso Cidadania e Civismo. Alunos da primeira à sexta série do ensino fundamental participaram com desenhos, e de sétima e oitava série do ensino fundamental e do ensino médio, com redações. Familiares, parentes e amigos dos alunos lotaram o templo da Loja Maçônica. A sessão magna foi conduzida pelo venerável Álvaro Bachini, que convidou a coordenadora de educação estadual, Valéria Gomes, e a representante da Secretaria Municipal de Educação, Eliane Abi-Râmia, para participar da mesa com ele.Os últimos premiados da noite foram os alunos do ensino médio, que fizeram suas redações com o tema Educação e Cultura: sua importância para o indivíduo e para a sociedade. Maik Dutra Roschmant, do Colégio Estadual Augusto Spinelli, obteve o terceiro lugar. (Jornal A Voz da Serra)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares